Entre 18 e 24 de setembro, 193.000 pessoas inscreveram-se para receber subsídio de desemprego, um recuo de 16.000 em relação à semana anterior, indicam os números publicados pelo Departamento do Trabalho.

O número ficou muito abaixo do que era esperado pelos analistas, que apontavam para 213.000 e também ficou abaixo de 200.000 pela primeira vez desde maio, sendo o nível mais baixo desde abril.

"O desequilíbrio entre a oferta e a procura de trabalhadores, que tem levado a uma pressão em alta dos salários, é um fator decisivo para a Reserva Federal (Fed) continuar a aumentar as taxas de juro diretoras", afirmou Nancy Vanden Houten, economista da Oxford Economics, citada pela AFP.

Para fazer baixar a inflação, que estava em 8,3% em agosto, a Fed tem de subir as taxas de juro e desacelerar a atividade económica, o que deverá levar a um aumento da taxa de desemprego que está atualmente em 3,7%.

Os dados relativos à taxa de desemprego em setembro serão publicados em 07 de outubro.

EO // JNM

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.