Em resposta à Lusa, a empresa confirmou que a greve será de três horas por turno de serviço e a todo o trabalho suplementar entre as 00:00 do dia 10 de outubro e as 24:00 do dia 14 de outubro.      

"Apesar de ainda não ter sido possível alcançar consenso, as partes mantêm-se disponíveis para dialogar e empenhadas em encontrar soluções que permitam alcançar o desejado acordo com os sindicatos", acrescentou a empresa.  

Carlos Costa, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), tinha indicado anteriormente à Lusa que a greve visa reivindicar aumentos salariais devido ao aumento do custo de vida.

"A nossa expectativa é conseguir o reinício das negociações com o Governo e com a administração. Mantém-se a intransigência governamental e do conselho de administração nos 0,9% [percentagem de aumento aceite] e não passa disso. A inflação já vai à volta dos 8% e, por isso, a proposta de 0,9% é irrelevante para o poder de compra atual", argumentou.

A Transtejo é responsável pela ligação do Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, a Lisboa.

Esta empresa partilha o conselho de administração com a Soflusa, responsável pela travessia entre o Barreiro, no distrito de Setúbal, e o Terreiro do Paço, em Lisboa.

Os trabalhadores de ambas as empresas têm levado a cabo nos últimos meses várias ações de luta, reivindicando uma valorização salarial e a contratação de funcionários.

RCS/FAC // MLS

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.